Entrevista | Pedro Beckett - Blogger & Escritor

by - 18:08

Tive oportunidade para entrevistar o Pedro, um excelente blogger, e acima de tudo um grande amigo. Amante de literatura, música, e com um enorme jeito para fotografia. Não podemos esquecer o seu bom humor, e mais importante, o seu talento para a escrita.

Conheço o Pedro praticamente desde que embarquei nesta aventura dos blogues literários, ajudou-me imenso e foi um grande ouvinte. Apresentou-me a Jojo Moyes, e graças a ele descobri um dos livros da minha vida, Viver Depois de Ti. Já perdi a conta das vezes que ele obrigou-me a ler todos os livros da Jojo! Uma pessoa cinco estrelas, adoro a sua personalidade, e acho que se não fosse ele não teria chegado onde estou. És o maior!

Convido-vos a visitar o seu blogue, The BookShelter, acredito que não se vão arrepender. Para além do mais, podem acompanhar o Pedro tanto na página de Facebook como no seu Instagram. Mais abaixo, encontram mais informações sobre este jovem talento. 

Sobre o Pedro:
"Pedro Beckett é um jovem escritor residente no concelho de Paredes. Com os seus 18 anos orgulha-se de já ter escrito duas obras, apesar de nunca as ter publicado, e possuir um blog literário, “The BookShelter”, criado em 2015, com mais de 45 mil leituras e 230 seguidores e, recentemente, uma das suas publicações sobre o Festival Eurovisão da Canção alcançou a marca das 5000 mil leituras. É neste cenário que surge o convite para integrar a coletânea “Entre Monstros e Dragões”, a maior coletânea de fantasia em Portugal. Juntamente com mais 30 escritores, Pedro Beckett vê o seu conto, “Arde em Mim”, aceite pela organizadora da obra, R. C. Vicente, autora da obra “O Ressurgir dos Eternos Titãs”. “Arde em Mim” tem como base a Mitologia Grega e as suas lendas como a da Medusa. O autor admite que se baseou em pessoas do seu quotidiano para criar as suas personagens, tais como o melhor amigo e a sua mãe. Confessa ainda que tentou, através do conto, criticar vários comportamentos e as consequências sentimentais que estes têm na vida das pessoas e espera que essas críticas consigam ser assimiladas por todos."

1. Como surgiu o teu interesse pela leitura? Foi por influência de alguém, ou foste tu próprio a descobrir o mundo dos livros?

Eu comecei a ler por volta dos meus dez anos. Fui submetido a uma cirurgia e a minha prima ofereceu-me alguns livros da coleção "Uma Aventura". Não descansei enquanto não os li todos! E ainda hoje tenho a coleção completa.

2. Sempre sentiste necessidade de escrever e publicar um livro teu? É algo que penses para o teu futuro, ou apenas um passatempo?

Tudo começou como um refúgio. Durante a adolescência passei por momentos menos bons e ao criar personagens e dar-lhes uma história de vida conseguia esquecer tudo aquilo que se passava na minha vida.

3. E o "The BookShelter", como surgiu? Quando criaste o blogue esperavas aprender tanto e ficar a conhecer tanta gente? Pensaste alguma vez que conseguisse chegar onde está?

O "The BookShelter" surgiu pela necessidade que tinha de “falar” com alguém sobre os livros que lia. Nunca pensei que fosse conhecer tanta gente incrível e que o blogue atingisse as leituras que atingiu.

4. És uma pessoa que vive de sonhos ou vives para os sonhos?

Acho que um bocadinho dos dois. Vivo de sonhos porque os considero objetivos de vida e vivo para os sonhos porque tenho vontade de os concretizar.

5. Se tivesses de descrever numa só palavra, qual seria? Qual o livro que melhor te define?

As pessoas costumam dizer que sou autêntico por ser muito diferente da maioria das pessoas da minha idade. Assumo que essa seja a palavra que mais me caracteriza. Quanto ao livro talvez seria “Por Treze Razões” porque eu considero-me uma Hannah Baker da vida.

6. És um grande apreciador de música, inclusive um grande apoiante do Festival Eurovisão da Canção. Neste momento, qual a música que está sempre na tua cabeça e coração?

Honestamente são duas músicas! “Spotlight” da Laura Rizzotto porque assim como a artista percebi que existem pessoas que só nos querem quando lhes é conveniente por alguma razão. Outra é, precisamente, “O Jardim” da Cláudia Pascoal por invocar a saudade.

7. Quais os teus planos para os próximos tempos quanto ao blogue? E quanto a escrita? Vais-te aventurar a escrever o teu próprio livro?

Quanto ao blogue tenciono voltar a ser mais ativo. Quanto à escrita confesso que o conto que escrevi para a coletânea “Entre Monstros e Dragões” me deu coragem para pegar num livro que tinha começado e finalmente terminá-lo. Espero que até ao fim do ano possa dar notícias sobre ele!

8. Quando começas a escrever tens algum ritual? E dicas de escrita, tens algumas?

Não sou aquele tipo de pessoa que tem rituais de escrita ou que aponta na agenda que tem de escrever x de páginas por dia. Eu escrevo apenas quando tenho alguma ideia que acho que ficará bem na história ou então quando estou chateado. As melhores páginas do meu mais recente livro foram, sem dúvida, escritas quando eu estava muito irritado ou chateado (risos).

9. Tens alguma dica para quem está a começar no mundo dos blogues literários?

Mantenham-se fiéis a vocês e à vossa maneira de ser e de escrever. Não tentem copiar os ditos “grandes” porque não é dessa forma que vão lá chegar! Não tenham medo de serem diferentes.

10. Qual o teu maior sonho?

Confesso que gostava que o meu livro fosse um bestseller e, através dele, conhecer vários países fazendo sessões de apresentação.

11. O que mudavas no mundo?

Essa é uma pergunta difícil porque existe realmente muita coisa que tem de ser mudada. Mas talvez tentaria mudar a forma conservadorista com que algumas pessoas vêm o mundo. As sociedades estão em constante evolução e as pessoas precisam de evoluir também.

12. Podes fazer uma breve apresentação do teu conto?

“Arde em Mim” conta, em paralelo, a história de amor de Atena com o mortal Tales e dos problemas que esse amor trouxe. Deste casal nasce Helena que acha que têm de salvar o mundo. No meio disto conhece Lucas e acaba por se apaixonar.

13. Por que é que te baseaste na Mitologia Grega?

Desde sempre que é um tema que me agrada bastante. Se acompanhas o meu Instagram percebes que tenho um amor muito grande pela Grécia e pela sua mitologia e quando surgiu o convite para a coletânea foi o primeiro tema que me passou pela cabeça.

14. O livro que estás a escrever tem também como base a mitologia grega?

Não! Trata-se de um livro de ficção científica, mas, como é óbvio, existem algumas referências que usei baseadas na cultura greco-romana.

15. Baseaste-te em alguém do teu quotidiano para as tuas personagens?

Tanto no conto como no livro baseei-me em pessoas como a minha madrinha e como o meu melhor amigo. Para além disso, basei-me também em situações do meu quotidiano.

16. Dizes que pretendes passar uma mensagem através do teu conto. Qual?

A Helena sentiu-se como sendo uma “segunda opção” durante toda a sua vida. É por isso que têm aquela atitude no final do conto. Pretendo passar a mensagem de que mostrar claramente a alguém que essa pessoa não passa de uma “segunda opção” ou que só estás com ela porque não tens mais ninguém com quem estar pode afetar o seu psicológico de uma forma negativa. Mas esta é apenas uma das mensagens! Espero que consigam identificar as restantes (risos).

17. Quem foi a primeira pessoa a ler o conto?

A irmã da minha melhor amiga.

18. A irmã?

Exatamente! A minha melhor amiga não é propriamente a leitora mais assídua do mundo ao contrário da irmã! (risos)

19. Quais são os teus três escritores preferidos?

Jojo Moyes, Cassandra Clare e Rick Riordan.

20. Sentiste que algum deles, de alguma forma, te influenciou no processo de escrita.

Sim. Todos eles! Rick Riordan no que toca à temática da mitologia, Cassandra Clare mais no que se passa no final do livro e Jojo Moyes por me ter ensinado a passar mensagens através da escrita.

Quero agradecer ao Pedro por ter aceite ser entrevistado por mim, é um orgulho ver um amigo a conseguir tanto. Espero um dia estar numa fila para te pedir um autógrafo, ter mais uma vez oportunidade de entrevistar quando fores um escritor de best-sellers, e claro, mal posso esperar por ler o teu conto "Arde em Mim". Até lá, fico a acompanhar o teu trabalho nas redes sociais. Aguardem, um dia destes teremos um novo escritor!

You May Also Like

1 Comentários

  1. Excelente entrevista,gostei do facto do Pedro Beckett passar mensagens através da escrita pois é o que mais me cativa nas leituras.Votos de sucesso para ambos!

    ResponderEliminar